sábado, 19 de maio de 2012

Cervejas, batatas e frango

Ontem nadei com o caos
O irmão bastardo da tormenta
Conversamos sobre estrelas e raposas
Sobre risadas e glórias

A inspiração e o sono
Anuladas numa dança mitológica Tarkovskiniana
As batatas mergulham na cerveja

O ônibus que parte

O crème de la crème
Que escorre pelas pedras fermentadas
Da calçada duvidosa



;,-

3 comentários:

  1. escreva mais que ano passado.......

    ResponderExcluir
  2. ja tinha ouvido falar da acidez,
    aqui descubro
    o equilibrio não esta no sabor.
    te sigo.

    ResponderExcluir
  3. as cenas palpitam nas palavras.

    ResponderExcluir